segunda-feira, 23 de novembro de 2009

LINGUAGEM CORPORAL DETECTANDO A MENTIRA...



Até nisso a linguagem corporal nos auxilia de forma positiva da seguinte maneira que é algo extremamente útil saber quando alguém está mentindo para você, sabendo que alguém está mentindo, você pode direcionar questionamentos mais específicos que terminem por lhe trazer mais próximo da verdade.


E você não precisa de um polígrafo para detectar isso, você pode se treinar para “ler” a linguagem corporal do seu interlocutor. Isso acontece porque a imensa maioria das pessoas, que mentem, tem um certo nível de integridade moral, ou seja, elas sentem um certo nível de culpa por mentir, e é esta culpa que provoca os movimentos que caracterizam um mentiroso.

Sim, você ainda poderá ser enganado, alguns mentirosos costumazes não tem consciência, sem consciência não há culpa, sem culpa não há a linguagem corporal que entregue a mentira. Mas ei… se a pessoa é uma mentirosa costumaz, você já deve saber que não pode acreditar nela.

Abaixo os cinco indícios mais comuns de que uma pessoa está mentindo não são infalíveis, mas se detectados indicam que você deve ficar atento.
Escondendo a boca


Este é um dos gestos que os adultos trazem da infância quando se trata de mentira. A mão cobre a boca, e o dedão pressiona a bochecha. Podem ser apenas alguns poucos dedos sobre a boca, ou até mesmo o pulso. Aparentemente o cérebro, subconscientemente está tentando esconder a mentira. Muitas pessoas tentam disfarçar o ato de esconder a boca uma tosse. Se a pessoa cobre a boca enquanto você está falando, pode indicar que ela acha que você está mentindo.

Coçar o nariz

Em essência, o toque no nariz é uma versão sofisticada do ato de esconder a boca. Podem ser várias coçadas rápidas logo abaixo do nariz ou um rápido e quase imperceptível toque. Uma explicação para este movimento é que a mão está se movendo em direção á boca, e uma tentativa de ser menos óbvio faz com que ela seja puxada do nariz para a boca. Lembre-se que isso ocorre em um nível subconsciente. Se a pessoa tem mesmo uma coceira no nariz, ela irá, normalmente e deliberadamente coçar ou azunhar e não apenas fazer um toque rápido. Tal como o ato de esconder a boca, se isso acontecer quando você está falando a pessoa com quem você está falando está achando que você está mentindo.

Esfregar o olho

Este gesto tenta bloquear a mentira que a pessoa vê, ou para evitar ter de olhar no olho da pessoa para quem está mentindo. Homens normalmente esfregam os olhos de maneira vigorosa ou, se a mentira é grande, eles desviam o olhar. As mulheres geralmente passam o dedo gentilmente sob a pálpebra (para não borrar a maquilagem). Lembre-se, mentirosos não olha nos olhos quando mentem. Eles gentilmente desviam o olhar instantes antes de mentir, ou fixam o foco atrás de você (a pessoa está olhando para você, mas o olhar parece perdido).

Azunhar o pescoço com o dedo indicador da mão com que a pessoa escreve logo abaixo do lóbulo da orelha. Geralmente serão alguns poucos arranhões rápidos. Este é muito provavelmente um gesto de dúvida ou incerteza, característico de pessoas que pensam, “eu não estou certo disso”. Ele geralmente vem acompanhando uma contradição á linguagem verbal, como quando a pessoa diz: “eu entendo o que você está sentindo” enquanto azunha o pescoço.

Esfregar a orelha

Esta é a versão adulta do gesto em que a criança tampa os dois ouvidos com as mãos para não escutar nada. Esse movimento inclui esfregar a parte detrás da orelha, puxar o seu lóbulo, ou até mesmo dobrá-la. Se o seu interlocutor fizer qualquer destas enquanto fala, é uma indicação de mentira. O último sinal, se usado enquanto você fala, quer dizer que ele não apenas acha que você está mentindo, como ele considera ter atingido o limite.

Outros indicadores

Mudanças no tom de voz.

Mudança na velocidade da fala.

Travas no diálogo com o uso excessivo de pausas e comentários como “hmmm”, “hã” ou “você sabe”, ou ainda limpar a garganta.

Virar o corpo para longe de você, mesmo que levemente.

De repente começar a mostrar a parte branca dos olhos acima ou abaixo das pupilas, não apenas dos lados.

Movimentos nervosos com os pés ou pernas.

Brincar com as próprias roupas, como arrancar linhas soltas ou alisar dobras.

Discrepâncias entre o que se diz a a linguagem corporal, por exemplo, dizer “não” e balançar a cabeça para frente e para trás (como se tivesse dizendo sim).

As pupilas de quem esta mentindo podem dilatar.

Quando alguém está mentindo, sorri menos que o habitual.

Também costuma a encolher mais os ombros.

Engolir em seco.

Esfregar as sobrancelhas.

Cruzar e descruzar as pernas.

Brincar com os cabelos.

Suor escorrendo da sobrancelha, caso não seja um dia quente.

Dizer “não” com muita freqüência

Negação continua de algum tipo de acusação.

Ser extremamente defensivo.

Prover mais informações e especificidades do que o a pergunta requeria.

Inconsistências no que está dizendo.

Satisfação, mas de maneira ofensiva.

Procurar usar uma barreira entre si e o interlocutor, tal como uma cadeira ou uma mesa.

Calma incomum.

Evitar tocar a esposa durante conversações.

Ficar hesitante, caso não o seja habitualmente.

Ficar em uma posição excessivamente relaxada, largada.

Excesso de rigidez e aumento de tiques nervosos.

Movimentos pouco naturais ou limitados das mãos e dos braços.

Elevar os ombros em sinal de descaso.

Não apontar.

Flutuações pouco usuais na forma de falar, na escolha das palavras e na estrutura das sentenças.

Não usar pronomes enquanto fala.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário